dois carros de frente, um preto e um cinza, foto focando nos faróis dos carros imagem ilustrativa seguro automotiva

Seguro automotivo: GUIA para entender e contratar seu seguro auto

O seguro automotivo tem grande importância no dia a dia. Isso porque, ele garante ao segurado uma proteção contra danos e perdas, prejuízos que acontecerem com o carro.

Por mais que muitas pessoas ainda não tenham segurado o seu bem, o seguro é a forma mais adequada de se manter protegido contra imprevistos.

É possível, com valores bem acessíveis, ser amparado por todas as condições que um seguro auto pode oferecer. Existem alternativas que atendem a várias situações aos segurados.

Quer saber mais a respeito do seguro automotivo? Acompanhe ao longo deste conteúdo informações que irão ampliar a sua visão em relação a esse tipo de proteção.

Por que fazer um seguro automotivo?

Primeiramente, é preciso reforçar a importância de se fazer um seguro automotivo. Diariamente vemos notícias de veículos que foram furtados ou que passaram por algum tipo de acidente que os levou a um dano ou perda total.

De acordo com pesquisas, a cada 5 minutos um carro é roubado no Brasil. Esse número se torna considerável se pensarmos que, em média, são 500 mil veículos roubados por ano no País.

E esse não é o único fator de importância para a aquisição de um seguro de automóvel. Imagine que você adquiriu um carro novo ou semi novo de forma financiada, e “perde” esse bem no início do financiamento?

Ou seja, é basicamente inviável pensar em adquirir um bem de valor alto como um veículo sem pensar em, logo de início, agregar um seguro auto para garantir a segurança do bem.

Por outro lado, não é apenas a perda por roubo que um seguro cobre. Também podem ocorrer danos por causa de uma colisão, por exemplo.

Infelizmente, razões não faltam para que você se preocupe com a adesão a um seguro de automóvel para se ver segurado de situações como essas, que são corriqueiras em todo País.

17 dúvidas mais comuns sobre seguro automotivo — com respostas!

O universo dos seguros ainda é cercado de dúvidas e até de falta de informação por parte da maioria das pessoas.

Por essa razão, muita gente deixa de adquirir uma proteção, por acreditarem que o serviço tem custo muito alto.

Mas não é bem assim. Abaixo, vamos esclarecer as dúvidas mais frequentes sobre o assunto.

Compreendendo melhor esse sistema de proteção, você vai entender o quanto ele pode ser útil na prevenção de perdas e danos do seu veículo.

1. O que é o seguro auto?

Vamos por partes. A primeira delas e a mais importante é a compreensão sobre o que é um seguro auto.

O seguro auto ou seguro automotivo nada mais é do que a proteção oferecida por seguradoras para suprir danos causados por imprevistos como furto, roubo, acidentes, colisões, defeitos, entre outros.

homem abrindo carro com chave de fenda imagem ilustrativa seguro automotiva
O índice de roubos e furtos no Brasil é alto e a situação pode gerar bastante prejuízo.

Assim, o proprietário do veículo contrata uma seguradora de sua escolha e paga mensalmente uma taxa que corresponde ao tipo de seguro que ele escolheu contratar.

Isso porque, existem opções diferenciadas de cobertura para cada contrato. A taxa corresponde às coberturas para ressarcimento escolhidas pelo usuário.

2. O que é sinistro e como ele funciona?

Essa palavra é muito comum nos contratos de seguros de automóvel. Por isso é preciso mesmo compreender o que ela significa em relação aos casos de adesão ao seguro.

A palavra “sinistro” corresponde a um acontecimento que gerou algum tipo de prejuízo ao bem segurado, nesse caso o carro.

Entretanto, existem dois tipos de sinistro. Ele pode ser parcial ou integral, dependendo do tipo de dano ocasionado.

No caso de roubo sem recuperação ou perda total em acidente, a cobertura será total. Porém, se o dano for passível de recuperação, a cobertura deverá ser parcial.

3. O que é a franquia do seguro automotivo? Quando preciso pagar?

Nos contratos de seguros existem algumas premissas que correspondem tanto aos direitos, quanto aos deveres do segurado.

Neste caso, a franquia de seguro automotivo é uma taxa que deverá ser paga pelo solicitante do seguro caso ele sofra algum tipo de sinistro que mencionamos acima no veículo.

Quer dizer que ele deverá pagar essa taxa para acionar o sinistro parcial. A taxa de franquia só será cobrada se o dano for parcial.

Em caso de perda total, ela não será cobrada, ficando por conta da seguradora o conserto do veículo. Isso desde que o valor não seja maior do que o acordado em contrato.

4. Qual a diferença entre a perda parcial e perda integral? As duas garantem indenização?

Chegamos a mencionar acima sobre as perdas totais e parciais. A diferença entre elas é que no caso da perda parcial, o dano é passível de recuperação. Isso desde que o percentual seja inferior a 75% do valor do veículo. 

Normalmente, a perda parcial acontece quando ocorre um acidente que gera danos que não são irreversíveis e podem passar por um conserto mecânico ou de funilaria e pintura.

Você arcará com o valor da franquia e o seguro quitará o valor restante. Suponhamos que o conserto do seu carro tem um valor de R$ 5 mil. A sua taxa de franquia é de R$ 1.500.

Então, significa que você vai pagar R$ 1.500 à oficina, e a seguradora vai arcar com os R$ 3.500 faltantes. O valor pago pela seguradora é a indenização parcial do seguro.

Com relação ao dano total, ele está relacionado a perda integral do carro. Esse tipo de dano geralmente é causado por acidentes graves. A perda total também acontece se o veículo é roubado ou furtado, e não recuperado pela polícia.

Nesse caso, o seguro garante a indenização total do bem. A perda se caracteriza por estar acima de 75% do valor de compra do veículo.

A indenização integral cabe no caso da perda total. Esse valor será de acordo com o valor de tabela do veículo. Somente neste caso a seguradora é obrigada a efetuar a devolução do valor total do veículo.

5. Quais as coberturas de um seguro auto?

carro com a frente batido e destruída em uma estrada molhada
Um seguro auto geralmente cobre colisão do veículo.

Um seguro automotivo tem várias vantagens, entre elas uma cobertura variada para quem está protegido. Entre as situações que um seguro cobre, estão:

  • Batidas, colisão, capotagem ou derrapagem; 
  • Queda de objetos externos ocasionais como pedras, vasos ou qualquer outro objeto que cause dano a lataria do veículo segurado;  
  • Danos causados por terceiros, sem intenção;
  • Danos causados por enchentes, alagamentos ou inundações;
  • Ressaca, vendaval, granizo, furacão, terremoto e raios, danos da natureza; 
  • Incêndio ou explosão;  e
  • Furto ou roubo parcial, no caso de roubo de peças ou total do veículo.

Essas são consideradas as coberturas básicas de um seguro de automóvel. Entretanto, existem outras coberturas específicas, consideradas adicionais, que podem ser contratadas a parte. Veja a seguir.

Coberturas adicionais do seguro auto

Conforme falamos acima, outras coberturas mais amplas podem ser adquiridas em um contrato de seguro automotivo. O procedimento é opcional e fica a critério do solicitante do seguro, que avalia a necessidade de acordo com o seu carro e dia a dia.

Acompanhe alguns tipos de coberturas consideradas adicionais!

  • Cobertura de Vidros: reparo ou reposição dos vidros laterais, traseiro e para-brisa, em caso de quebra, trinca ou qualquer dano. Por mais que os vidros estejam cobertos pela garantia básica do veículo, esta cobertura é plausível por não estar prevista na franquia. Normalmente ela é superior ao valor dos vidros, quando danificados sem outros danos ao veículo;
  • Acessórios: a cobertura de aparelhos de som, imagem e comunicação, originais de fábrica ou não. São aparelhos instalados em caráter permanente no seu carro, como rádio, DVD, CD player, televisores, entre outros;
  • Blindagem: o automóvel segurado, se for blindado, de fábrica ou não, pode contratar cobertura para riscos contra esta característica;
  • Kit Gás: cobertura que protege contra os danos causados ao equipamento decorrentes de eventos causados por colisão, incêndio e roubo;
  • Carro reserva: garante ao segurado um outro veículo, emprestado, caso o seu passe por algum sinistro e tenha que ficar parado por tempo determinado. Vale para os casos em que o usuário depende do carro para transporte e não pode ficar aguardando o retorno do veículo.

6. Quanto custa um seguro auto?

Essa é uma dúvida que paira para muitos que desejam aderir, mas acreditam que não seja possível devido ao valor do seguro de automóvel.

Mas precisamos esclarecer que o valor de um seguro não é tabelado. Ou seja, cada seguradora tem o seu valor e ele varia muito de acordo com as escolhas de proteção feitas pelo solicitante.

Assim, diversos fatores interferem na precificação final do seguro. Entre eles estão fatores que apresentamos abaixo.

Perfil do Motorista

O perfil do motorista influencia diretamente no valor do seguro. Isso porque, dependendo desse perfil, ele tem mais ou menos chances de causar ou se envolver em um acidente, por exemplo. 

Situações como tempo de carteira, sexo, localização e estado civil podem interferir e até aumentar o valor do seguro.

É importante estar atento a essas características na hora de procurar um seguro de auto no mercado.

Idade do Motorista

Assim como o perfil, a idade também faz parte dessa cotação de preço do seguro. Fatores como tempo de carteira e a idade favorecem uma situação de risco ou de segurança para o motorista.

Modelo do Carro

O modelo do carro também influencia muito na hora de realizar uma cotação. Um carro mais visado em roubos e furtos tende a ter seguro mais caro.

carro azul pequeno parado em frente a uma loja de comida chinesa
Alguns modelos de carro são mais visados para roubos e furtos, então seu seguro é mais caro.

Ainda existe a questão da avaliação por localidade, já que no Brasil existe um índice muito alto de furtos e roubos de carros e que variam de acordo com a região.

Local de Estacionamento

Questões como onde o carro fica estacionado também variam o preço. Será avaliado se o veículo fica parado na rua, ou em uma casa particular do proprietário, ou se ele tem garagem própria para ser guardado.

Coberturas inseridas no seguro

O seguro por si só oferece uma relação de coberturas consideradas básicas. Porém, existem as opcionais, que podem agregar valor na taxa de mensalidade do seu seguro. 

Entretanto, dependendo do tipo de veículo e para que fins ele é utilizado, vale a pena a contratação, em vez de correr o risco de ter perdas após sinistros.

Índice de roubo

Como mencionado, um dos principais fatores de avaliação é a localização onde está sendo feito o seguro.

Existe um grande índice de roubos em todo País. Entretanto, existem localidades onde a relação de roubos é maior ou menor. Por essa estatística, também é feita uma análise de viabilidade para saber se a região é mais ou menos segura para os motoristas.

Preço de manutenção do modelo

Naturalmente que o tempo do veículo vai influenciar diretamente no valor do seguro. Se um carro tem mais chances de sofrer um dano mecânico, provavelmente seu seguro será mais caro.

7. Onde cotar o seguro auto?

Para essa pergunta temos uma resposta direta. A melhor forma de realizar uma cotação é com uma corretora de seguros.

Diferentemente de escolher uma única seguradora, em uma corretora você terá a chance de contratar uma consultor de seguros. O consultor será o responsável por avaliar, por meio de uma cotação, as melhores opções de seguro com as principais seguradoras.

Assim, ele terá mais condições de encontrar o melhor custo e as melhores condições de adesão, que estejam dentro de suas expectativas.

Existem corretoras que facilitam essa pesquisa e conseguem cotar diversas seguradoras ao mesmo tempo, avaliando a melhor opção para o cliente.

A Quisto Corretora de Seguros oferece soluções em seguro auto com as principais seguradoras do País e conta com um sistema único de cotação, que consegue pesquisar em até 20 seguradoras no mesmo sistema.

Portanto, é uma alternativa de cotação muito atrativa e que pode solucionar de forma rápida e sem complicações o seu objetivo de investir na segurança do seu carro.

8. Como calculo o preço do seguro do meu carro?

O cálculo do valor de seguro do seu carro vai variar de acordo com as informações já faladas na pergunta sobre quanto custa um seguro de automóvel.

Ou seja, o preço do seguro vai depender de vários fatores, como ano de fabricação do carro, modelo, a idade do proprietário, sexo, localização, entre outros.

O mais interessante é procurar por uma corretora para fazer uma cotação.

9. Quais os documentos necessários para contratar o seguro auto?

No momento da adesão de um seguro de automóveis, algumas etapas serão necessárias antes mesmo da entrega dos documentos. Entre as etapas estão, primeiro, a cotação do seguro que seja adequado ao seu objetivo.

Depois de escolher pela seguradora, será importante a análise da proposta da empresa. Se tudo estiver dentro do esperado, chega o momento de vistoria do veículo e, posteriormente, a avaliação da documentação para a assinatura da apólice.

Os documentos necessários para avaliação serão:

  • Documentos pessoais: RG, CPF e CNH (Carteira Nacional de Habilitação). Ou apenas a CNH, caso conste nela o seu RG e CPF; e
  • Documentos do veículo: CRV (Certificado de Registro do Veículo) e CRLV (Certificado de Registro e Licenciamento do veículo).

Se o seu veículo for novo (zero), a nota fiscal de compra  será necessária. O recibo deverá ter a data de compra com o carimbo da concessionária.

Se o seu caso é de um veículo usado, de segunda mão, você terá que apresentar a documentação de compra e o recibo do carro já no nome do atual proprietário.

Basicamente esses são os documentos necessários. Entretanto, esses procedimentos podem mudar de acordo com a seguradora com a qual você irá contratar o seguro.

10. Quais as formas de pagamento de um seguro de carro?

Mais uma pergunta que não tem apenas uma resposta, pois depende muito de cada prestadora de serviço. No caso, de cada seguradora.

É possível realizar o pagamento do seguro de forma integral, parcelada, por boleto bancário e até por cartão de crédito. Tudo vai depender também da sua escolha de seguro e das condições oferecidas pela seguradora.

Mas não se preocupe. O pagamento do seguro normalmente pode ser parcelado, o que facilita o seu planejamento na hora de organizar as finanças. 

11. O que acontece se eu não pagar o seguro auto?

Caso você, por alguma razão, deixe de pagar o seu seguro, a seguradora poderá efetuar o cancelamento da apólice e você não terá a segurança de proteção garantida a partir desse atraso.

O pagamento do seguro é justamente a garantia de proteção. Automaticamente, se você deixa de pagar, ficará sem ela.

Por isso a importância de se programar para que, no momento mais importante, seu carro não esteja descoberto.

Mas vale dizer que as seguradoras cancelam o seguro apenas após avisos, e de tentar negociar os valores em aberto. Então, você não ficará sem a proteção de uma hora para outra.

12. O que fazer após um sinistro? Como é feito o pagamento da indenização?

Aconteceu um sinistro e você não sabe exatamente o que fazer, certo? Não se preocupe, caso não esteja atento aos procedimentos, basta entrar em contato com o seu corretor.

Outra opção é fazer contato diretamente com a seguradora para saber quais os passos deverá tomar a partir desse momento.

Primeiramente, se foi uma colisão e o carro foi danificado o suficiente para não sair do lugar, além de acionar o seguro, você vai precisar solicitar um reboque.

Ao mesmo tempo que aciona a seguradora, também será preciso agendar o reparo do carro em uma das oficinas credenciadas pela seguradora.

carro cinza suspenso em uma oficina mecânica
O conserto de veículos normalmente precisa ser feito nas oficinas credenciadas pela seguradora.

Veículo roubado ou perda total

Se a situação for de perda total do veículo ou roubo, será necessário entrar em contato com o 190 para registrar a ocorrência de roubo.

Logo em seguida, você deverá entrar em contato com o corretor ou a seguradora. Será preciso passar todas as informações sobre o ocorrido, bem como apresentar o boletim de ocorrência.

A seguradora irá proceder com a análise e avaliar toda a situação, além de constatar a sua cobertura em apólice. Após essa avaliação, o setor responsável da seguradora irá entrar em contato solicitando toda a documentação comprobatória necessária.

Estando tudo confirmado, a indenização será liberada para pagamento. Normalmente o valor é depositado na conta bancária do titular proprietário do veículo perdido.

13. A seguradora pode negar a indenização do seguro de carro?

A seguradora pode, sim, negar a indenização do seguro se ela estiver convicta de que a sua solicitação não for devida. Por se tratar de uma adesão contratual, existem nas premissas os direitos e deveres do segurado. 

Essa é a principal preocupação que um segurado deve ter ao adquirir um seguro. Compreender e estar ciente de todas as informações que permitem  e garantem a cobertura do seguro.

Situações com o a falta de pagamento do prêmio ou a divergência de informações no ato da adesão ao seguro são passíveis de negativa.

Assim como infrações que possam ter causado o acidente de culpa do segurado. Um exemplo desse caso é a direção perigosa após o consumo de bebida alcoólica.

Outro caso muito comum é o de emprestar o veículo para uma pessoa que não esteja habilitada ou que esteja com a documentação vencida.

14. O que é o seguro contra terceiros?

A Responsabilidade Civil Facultativa de Veículos (RCF-V) é mais conhecida como proteção contra terceiros.

Essa é uma opção que garante ao segurado a cobertura de danos causados a terceiros. Ou seja, que possibilita a indenização ou o reembolso a outras pessoas após um acidente provocado pelo segurado.

15. Qual melhor seguro auto?

Nem todas as nossas respostas são definitivas. Essa, por exemplo, não é. A melhor opção de seguro será a que atende as suas necessidades pessoais e financeiras. Ou seja, a que oferece uma cobertura compatível com o seu objetivo de proteção.

Por isso é muito importante falar com quem conhece as alternativas mais viáveis de negócios e seguros. Ninguém melhor do que um corretor de seguros para orientá-lo nessa busca.

16. O que é seguro automotivo com rastreador?

Existem algumas alternativas de seguro automotivo que garantem ao segurado maior proteção e segurança, além do que é proposto pela seguradora. Entre eles está o rastreador, que monitora o veículo 24 horas por dia.

Graças a ele, caso o veículo seja roubado, pode ser identificado e localizado.

Essa é uma alternativa que diminui o custo do seguro, pois permite maior garantia de localização do carro para devolução.

Esse tipo de dispositivo pode tanto ser contratado por conta própria, pelo próprio cliente, ou pode ser instalado pelas seguradoras.

17. Posso ter meu carro recusado no seguro? O que faço se acontecer?

É sim possível que seu carro seja recusado pela seguradora. Isso pode acontecer quando a seguradora identifica que os riscos são maiores do que a própria proteção.

Ou seja, ele tem grandes chances de acontecer, e a seguradora vai ter que pagar indenização. Então, ela prefere abrir mão do contrato.

Só que, nesse caso, as seguradoras precisam justificar a negativa ao consumidor. As empresas têm um prazo para responder ao pedido de adesão, que é de 15 dias.

Caso o caso seja recusado, a sua opção é procurar uma outra seguradora para realizar uma nova cotação.

Passo a passo para contratar um seguro automotivo

Após compreender melhor como funciona o setor de seguros automotivos, tirar suas dúvidas a respeito, ficou mais fácil compreender também a necessidade e a importância de se proteger, certo?

Se agora a sua ideia é de contratar um seguro, vamos mostrar a seguir um passo a passo simples para que você passe a proteger o seu bem. Assim, você terá mais tranquilidade de ir e vir com seu veículo.

Escolha as coberturas do seguro

Primeiramente, você deve escolher o tipo de coberturas que deseja para o seu carro.

Como falamos no nosso tira dúvidas, existem as coberturas básicas e a complementares, adicionais. Analise as condições de uso do seu carro e faça uma análise das necessidades de proteção que ele tem.

Entenda as opções de franquia

Existem algumas opções de franquias para a adesão ao seguro. São elas: a básica, a reduzida e a ampliada. Converse com o corretor, entenda o que cada uma significa e escolha a ideal ao seu perfil!

Franquia básica

A franquia básica é considerada a mais comum entre as franquias, e está na maioria das apólices. Ela tem um valor na média, nem muito caro, nem muito barato.

Franquia Reduzida

Já na franquia reduzida, o segurado paga um valor menor e, portanto, têm uma menor participação nos danos e prejuízos causados. Ao mesmo tempo, o valor do seguro a ser pago será mais alto.

Então, vale observar e avaliar a opção pois, quanto menor for a sua contribuição na franquia, maior será o valor final do seguro.

Franquia ampliada

Na opção de franquia ampliada, a lógica é a mesma da reduzida, porém de forma contrária. Quer dizer que a contribuição do segurado será maior na franquia, participando mais dos custos para conserto após um sinistro.

Em contrapartida, com essa opção o segurado tem um desconto maior no valor total do seguro.

Planeje o seu orçamento

Para manter a proteção do seu carro, você vai precisar quitar as parcelas do seguro em dia. Então, organize o orçamento e planeje seu pagamento.

Se for preciso, inclusive, vale a pena diminuir despesas supérfluas em casa. Assim, você vai conseguir manter seus compromissos em dia, mas sem apertas as contas.

Faça uma cotação

Não fique imaginando quanto será o seguro do seu carro! Em vez disso, faça uma cotação.

Procure por uma corretora de seguros, como a Quisto, e faça logo uma cotação de seguro para o seu veículo.

Para realizar uma cotação é muito simples. Basta acessar o site da corretora e deixar os dados para uma análise.

Quer adquirir o seu seguro automotivo? Faça sua cotação com a Quisto!

Depois, você só vai precisar aguardar o contato de um corretor, que irá passar todas as informações sobre o seu seguro e as condições mais adequadas para os eu caso.

Contrate o seguro auto!

Enfim, chegou a hora de contratar o seu seguro auto. Tenha a certeza de escolher as melhores coberturas ao seu veículo, pois assim você vai estar sempre protegido.

Se você ainda tem alguma dúvida ou deseja saber mais a respeito de outros seguros, continue navegando no site da Quisto e leia muito mais informações e conteúdo sobre seguros!